Projeto Produtor de Água do Pipiripau recebe prêmio internacional

27

O Projeto Produtor de Água no Pipiripau, coordenado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), alcançou a segunda colocação entre 340 projetos, de mais de 80 países, que concorreram ao “Water ChangeMaker Awards” (Produtores de Mudanças em Relação à Água).  O anúncio dos vencedores foi realizado ontem na segunda-feira, 25/01, durante evento internacional sobre adaptação às mudanças climáticas – Climate Adaptation Summit (CAS2021), realizado na Holanda e transmitido virtualmente.

O objetivo da premiação, promovida pela organização Global Water Partnership (GWP), foi reconhecer iniciativas mundiais que promovam mudanças socioambientais relacionadas à água, como forma de incentivar políticas públicas voltadas para a gestão racional dos recursos hídricos.

A escolha dos vencedores foi definida por meio de análise de júri técnico, que avaliou a capacidade das iniciativas em contribuir para a resiliência climática, superar dificuldades e avançar frente às resistências, promover a longevidade das boas práticas e mudanças adotadas e, também, se o projeto envolveu e mobilizou pessoas para alcançar metas e utilizou o aprendizado diante de crises e tomada de decisões.

Após disputar a final com 12 projetos, de 11 países, a iniciativa realizada no DF garantiu a segunda colocação no Water ChangeMaker Awards, junto com um projeto coordenado pelo Fundo Mexicano para Conservação da Natureza (FMCN), que desenvolve ações para melhoria dos ecossistemas em bacias hidrográficas com o apoio da população.

O primeiro lugar foi conquistado pelas Filipinas, que concorreu com um projeto de conservação de bacias hidrográficas liderados por movimentos jovens. A terceira colocação ficou com um projeto boliviano que desenvolveu um banco para financiamento de ações voltadas à conservação de recursos hídricos na região dos Andes. As quatro iniciativas premiadas serão apresentadas durante a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – COP26, em Glasgow, na Escócia, em novembro de 2021.

Paralelamente à decisão da comissão julgadora, foi realizada enquete popular na plataforma da GWP, na qual o Produtor de Água no Pipiripau recebeu mais de 12 mil votos como favorito, ficando entre os três primeiros colocados. O desfecho da disputa online não influenciou o resultado do concurso.

Vinícius Benevides, diretor da Adasa, que presidia a agência na época do início do projeto, celebra o reconhecimento internacional da iniciativa. “Fico muito feliz em ver o Projeto Produtor de Água do Pipiripau, que já era ruma referência nacional, ser reconhecido também internacionalmente, alcançando um lugar de destaque entre 80 países”, afirma.

Benevides, que foi também presidente da ABAR e atualmente é vice presidente da entidade para o Centro-Oeste, diz que “a decisão tomada pela Adasa, quando tive a oportunidade de assinar o Acordo de Cooperação Técnica, em 21 de dezembro de 2011, com a ANA e diversos outros parceiros, foi uma decisão bastante acertada”.

Além da Adasa e da ANA, são parceiros do Projeto Produtor de Água no Pipiripau as seguintes instituições: Embrapa, Emater, Caesb, Ibram, Seagri, Sema, DER, Sudeco, UnB, Banco do Brasil, Fundação Banco do Brasil, Rede Sementes do Cerrado, Pede Planta TNC e WWF-Brasil.

PARCERIA COM PRODUTORES RURAIS

O Programa Produtor de Água foi lançado pela Agência Nacional de Águas (ANA) em 2001, e implantado na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Pipiripau em 2011. Ele é resultado da parceria da Adasa com 17 instituições e mais de 200 produtores rurais, com o objetivo de minimizar conflitos pelo uso da água na região, incentivar o desenvolvimento rural sustentável e promover a gestão compartilhada dos recursos hídricos. Além dos produtores rurais, a bacia abastece mais de 200 mil pessoas das cidades de Planaltina e Sobradinho.

As ações implementadas no âmbito do Projeto incluem o reflorestamento de áreas degradadas, o cercamento de nascentes e Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal, adequação de estradas rurais, conservação de solo e água em áreas produtivas, controle de erosão e melhoria da infiltração da água e da sua quantidade e qualidade em nascentes e cursos d´água.

O Produtor de Água no Pipiripau também tem como foco o estímulo ao Pagamento por Serviços Ambientais (PSA). Atualmente, 200 produtores rurais da bacia fazem parte do projeto e são remunerados pelas práticas de conservação de solo e água adotadas em suas propriedades. As ações implementadas favorecem a infiltração de água no solo e consequente incremento no volume do lençol freático e aumento da vazão do rio nos períodos de estiagem.

Conheça o Projeto