Presidente da Agepan visita nova subestação em Campo Grande

75

Responsável pela fiscalização dos serviços de energia em Mato Grosso do Sul, por delegação da Agência Nacional de Energia Elétrica, a Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos do MS) acompanha de perto os investimentos que estão sendo feitos para ampliação e melhoria da distribuição. O diretor-presidente da Agência, Carlos Alberto de Assis esteve, nesta segunda-feira (5/7), em visita com o governador Reinaldo Azambuja, à Subestação Progresso Campo Grande, que está em construção, com previsão de entrega em maio de 2022. O presidente da Energisa MS, Marcelo Vinhaes, apresentou as instalações e os detalhes técnicos da obra.

“É mais um investimento para melhorar a qualidade da entrega da energia para os campo-grandenses. A cidade deve ganhar mais de 10% de capacidade energética, o que é muito bom. Investimento é o que precisamos, e o acompanhamento, a fiscalização, a verificação dessas ações é o que a Agepan faz, para o que o investidor coloque a estrutura para funcionar como deve e para que o usuário tenha qualidade naquilo que recebe”, afirmou.

A melhoria da qualidade dos serviços de distribuição é uma das vertentes da fiscalização que é realizada regulamente pela Agepan, conjuntamente com a Aneel. O impacto previsto na estabilidade, no incremento de qualidade no sistema de Campo Grande será posteriormente avaliado nas futuras fiscalizações.

Também acompanharam a visita técnica o Diretor de Gás e Energia da Agepan, Valter Almeida da Silva, e os secretários estaduais Eduardo Riedel (Infraestrutura) e Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

Localizada no Jardim Paulista, região sul da Capital, a nova subestação irá ampliar a capacidade de atendimento de Campo Grande em 12%, de 727 MW para 817 MW, e assim contribuir para melhoria na qualidade de fornecimento de energia elétrica, além de trazer crescimento para a região.

A Energisa Mato Grosso do Sul está investindo R$ 45,7 milhões no empreendimento, que terá 90 MW de potência instalada. A previsão é de atender cerca de 33 mil unidades consumidoras, com a estimativa de 81 mil habitantes.

Serão construídos 13 quilômetros de linhas de alta tensão (138 kV), além de mais 18,5 km de redes de distribuição (13,8Kv), e reformados mais 20,6 km de redes. Um total de 196 novos equipamentos serão instalados ao longo da rede de distribuição.