Mais de 308 mil Atendimentos Pré-Hospitalares nas rodovias em 5 anos

178

O serviço de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) foi destaque no começo deste mês, durante o salvamento de um bebê na Rodovia dos Imigrantes, no dia 05 de dezembro. O menino, de apenas três anos, tinha engasgado e a equipe de atendimento hospitalar da concessionária Ecovias foi acionada para socorrer a criança. Após o emprego de uma técnica de salvamento pelos profissionais da equipe, o pequeno, junto aos pais, foi levado para o Pronto Socorro Infantil de Cubatão e depois encaminhado para casa.

O bom desfecho, felizmente, é notícia frequente em consequência do trabalho das equipes das concessionárias do Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo. De 2017 até outubro de 2021, foram feitos 308.745 mil atendimentos deste tipo aos usuários das rodovias concessionadas, com uma média de tempo de chegada para o socorro de, no máximo, 10 minutos.

O APH é um dos serviços mais importantes na malha viária estadual concedida, regulada pela ARTESP, que abrange mais de 293 municípios no Estado de São Paulo. O serviço gratuito, previsto nos editais de concessão formulados pela Agência, consiste na oferta pela concessionária de atendimentos emergenciais, bem como a prestação de assistência médica de forma indireta ou à distância, incluindo a remoção das vítimas de acidentes ou de “mal súbito” nas vias, com as técnicas adequadas, até o hospital mais próximo, quando necessário. As 20 concessionárias investem, em média, a cada mês, R$ 10,37 milhões na capacitação e remuneração de profissionais e manutenção dos veículos, equipamentos e materiais de APH.

As ocorrências de acidentes e “mal súbito” são atendidos pela frota de mais de 190 ambulâncias, distribuídas ao longo das rodovias concedidas. Ao todo, as equipes de APH das concessionárias que administram as rodovias paulistas concedidas são compostas por 1.940 colaboradores, entre condutores, resgatistas e profissionais da saúde, envolvidos diretamente no atendimento de emergências e acidentes rodoviários, trabalhando diuturnamente, 7 dias por semana, durante o ano todo. Em média, há um profissional pronto para ajudar a cada 6 quilômetros de rodovia concedida e uma ambulância para realizar o atendimento ao usuário a cada 60 quilômetros. No total, são 11,7 mil quilômetros sob concessão no Estado de São Paulo.

Após o primeiro atendimento feito pelas equipes das rodovias, com manobras recomendadas e em condições adequadas, os usuários socorridos contam com o suporte da unidade mais próxima da rede de hospitais de retaguarda, indicada pela Central de Regulação de Urgências e Emergências.

Os programas de treinamento continuado das equipes de APH das rodovias concessionadas abordam temas como:

  • Técnicas de APH para atendimento às vítimas de acidentes, inclusive atendimento a múltiplas vítimas;
  • Avaliação clínica de acidentados e mal súbito;
  • Ações de resgate terrestre, aquático e em altura;
  • Utilização de EPI/EPC no atendimento de emergências;
  • Utilização de equipamentos desencarceradores e estabilizadores veiculares;
  • Sinalização, Operação e Segurança de Tráfego;
  • Radiocomunicação;
  • Atendimento ao usuário;
  • Sistema da qualidade (4 horas biênio);
  • Combate a incêndios (8 horas anual); e
  • Procedimentos básicos para ocorrências com produtos perigosos (8 horas anual).

Em 2021, até outubro, foram realizados 1.431.119 atendimentos nas rodovias, incluindo os APHs. O serviço mais requisitado pelos usuários foi o de inspeção de tráfego (752 mil atendimentos deste tipo). O serviço de socorro mecânico vem na sequência, com 325 mil solicitações; 289 mil foram os casos de pedidos de guincho; 2 mil apreensões de animais, entre outras.