Gestão dos resíduos sólidos durante pandemia foi tema de Webinar

54

Em tempos de pandemia, o seminário virtual foi transmitido para 150 pessoas no Youtube, Facebook e Instagram

Na última quarta-feira (22), o 7º Seminário de Resíduos Sólidos e Prática eventos promoveu Webinar: Cenários para a gestão dos resíduos sólidos em tempos de pandemia do Covid-19. Por orientação de isolamento social neste período, o evento ocorreu através das redes sociais da Prática Eventos tanto no YouTube como no Facebook e também pelo Instagram do Seminários Resíduos.

O debate foi mediado por Alceu Galvão, que é Doutor em Saúde Pública e foi comentado pelo Secretário Executivo de Saneamento da Secretaria de Cidades do Estado do Ceará Sr. Paulo Henrique Lustosa, e a Secretária de Planejamento e Gestão Interna da Secretaria de Meio Ambiente do Ceará Sra. Maria Dias.

Um dos temas abordados foi a questão do descarte de resíduo domiciliar e hospitalar, que tem gerado uma série discussões desde a declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a pandemia do novo coronavírus, levando entidades de meio ambiente, governadores e prefeitos a tomarem certas medidas de cautela durante este período.

Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE) , o descarte de resíduos domiciliares aumentou entre 15 a 25% , já que as pessoas estão mais tempo em casa, por conta do isolamento social. Dados da ABRELPE apontam que a geração de resíduos hospitalares em unidades de atendimento à saúde aumentou de 10 a 20 vezes, devido ao aumento de pacientes nas unidades”, diz a pesquisadora da instituição, Luane Souza

Vários infectologistas ressaltam que as pessoas que estejam doentes ou que têm suspeita de infecção pelo vírus, mantenham um cuidado ainda maior no descarte como, por exemplo, ter uma lixeira de uso exclusivo para a pessoa contaminada, usar sacos de lixo reforçados e que possam ser vedados, manuseá-los com luvas a serem descartadas posteriormente e higienizar as alças e as tampas das lixeiras frequentemente. Esse foi, justamente, o apelo da Secretária de Planejamento e Gestão Interna da Secretaria de Meio Ambiente do Ceará, Maria Dias“Trata-se de um agente biológico extremamente perigoso e letal, capaz de permanecer em um ambiente sólido, que é justamente, o que descartamos em casa, aeroportos e hospitais. É importante que o cidadão se atente ao descarte de resíduos, principalmente nos lares infectados”, afirma ela, defendendo, também o uso de máscaras em modelo “pet” como alternativa para a sustentabilidade.

A secretária defendeu, ainda, o modelo de responsabilidade compartilhada, onde cada um cumpre seu papel se conscientizando de sua importância para a paralização do vírus. “O cidadão deve ter cuidado no descarte, as empresas de coleta pública devem proteger seus funcionários que realizam a coleta, os caminhões precisam ser limpos e esterilizados. Os catadores só devem retomar a atividade depois de pandemia”, afirma a secretária que teve sua fala complementada pelo Secretário Executivo de Saneamento da Secretaria de Cidades do Estado do Ceará, Paulo Henrique Lustosa. “Políticas de auxílio aos catadores estão sendo implementadas para ajudá-los a sem manterem em casa. Empresas isentaram taxas de águas e luz, o Governo entrou com o auxílio emergencial e o Brasil está se mobilizando em doações de cestas básicas”, afirma Lustosa.

Por fim, tanto mediador, palestrantes e participantes concordaram que o assunto de saneamento básico poderia ser tema prioritário na agenda pública, aproveitando esse tempo de pandemia para se discutir uma política de melhorias públicas. “ Saneamento deve ser tratado como prioridade, principalmente, nesse atual cenário”, finaliza Alceu Galvão Doutor em Saúde Pública e mediador do webinar.