Estudo da AGERSA visa redução de lançamento de esgoto em córregos e rio

555

Com o objetivo de avaliar a eficiência do sistema de coleta e tratamento de esgoto, a Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Agersa) vem realizando levantamento dos pontos e terminações de redes coletoras em toda a cidade. O próximo passo será a elaboração de formas de garantir que todo o esgoto coletado em Cachoeiro de Itapemirim seja enviado para tratamento.

“Essa ação é um refinamento dos serviços prestados, uma vez que, inicialmente, o objetivo do contrato com a concessionária BRK Ambiental era a máxima extensão de rede coletora, porém, com a ocupação urbana desordenada, alguns pontos ficaram sem acesso aos serviços”, explica Vilson Carlos Gomes Coelho, Diretor-Presidente da Agersa.

Cachoeiro possui cobertura de 98,06% da malha urbana com rede coletora de esgoto, sendo cerca de 69 mil imóveis ligados à rede. Ocorre que parte é compartilhada com a rede de drenagem de águas pluviais, ou seja, são redes de sistema unitário.

“Quando as águas das chuvas são escoadas para o sistema unitário ocorre um grave problema, pois todo o esgoto presente nesta rede é direcionado para o Rio Itapemirim”, destaca Vilson Coelho.

A Agersa vem buscando, por meio do levantamento em fase de execução, detalhar o tipo de coleta e identificar os pontos com necessidade de substituição de redes do sistema unitário. A substituição de redes resultará na redução de lançamento de esgoto no Rio Itapemirim e demais corpos hídricos.

Leia mais aqui.