Coordenadores de Câmaras Técnicas e Direção da ABAR debatem metodologia do VII Congresso

464

Brasília – Os coordenadores das Câmaras Técnicas da Associação Brasileira de Agências de Regulação (ABAR) estiveram reunidos em Brasília, na última quarta-feira (26), para definirem uma metodologia de apresentação do conteúdo técnico a ser debatido no VII Congresso Brasileiro de Regulação, promoção da Abar, que acontecerá na Capital Federal, no próximo mês de setembro. Eles discutiram também estratégias para valorizar e dar visibilidade aos “papers” técnicos a serem apresentados no evento. A reunião ocorreu durante todo o dia, no Hotel Nóbile.

As Câmaras Técnicas são instâncias de discussão, produção e divulgação de temas relacionados aos diversos setores regulados pelas associadas da ABAR, instituídas e disciplinadas pela Diretoria e integrantes do seu sistema operacional. Entre os itens da pauta de discussão: ações de comunicação voltadas à publicidade do evento; estrutura do Congresso; escolha dos palestrantes nacionais e internacionais; compatibilização de horários de painéis e apresentações de papers; bem como os aspectos temáticos.

Além disso, também foram levantados tópicos referentes a questões pré-congresso, como o prazo de apresentação dos trabalhos, escolha de representantes das Câmaras Técnicas, e das comissões de análise dos papers. Ao fim, foi aprovada uma proposta que será objeto de ratificação da Diretoria da ABAR.

Na ocasião, o presidente da ABAR, José Luiz dos Santos, chamou atenção para a autonomia de trabalho das Câmaras Técnicas quanto às suas agendas setoriais. “As Câmaras trabalham de forma independente, embora supervisionadas e orientadas pela Diretoria. São, de certo modo, como braços operacionais da ABAR, e devem enfocar propostas de aperfeiçoamento do processo da atividade regulatória dos diversos segmentos de atuação das Agências Reguladoras”, declarou.

Vice-presidente da ABAR, Vinícius Fuzeira de Sá, enalteceu a importância de um Congresso agradável para os participantes, e classificou o evento como uma oportunidade de visibilidade dos trabalhos dos reguladores de todo o País. “Será a reunião dos reguladores e regulados de todo o Brasil e a apresentação dos papers e painéis será da maior importância. Temos que procurar dar motivação e incentivo para que essas apresentações tenham papel de protagonismo durante o Congresso”, reforçou.

{backbutton}