Artesp divulga recomendações aos motoristas por causa das chuvas

15

O volume das chuvas durante o mês de janeiro deste ano tem sido crescente, fato relacionado com o fenômeno La Niña, que contribuiu para o aumento das precipitações durante o verão na região Sudeste. Diante deste cenário, a Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) recomenda que os usuários que trafegarem pelas rodovias paulistas fiquem atentos a algumas dicas para garantir uma viagem segura.

Visibilidade ao dirigir na chuva – Antes de sair de casa, confira se o limpador de pára-brisa está funcionando corretamente. Se as palhetas estiverem ressecadas, faça a troca o mais brevemente possível.  

Faça uma verificação dos pneus – Para ter certeza sobre a confiabilidade dos pneus, cheque se as ranhuras possuem, no mínimo, 1,6 mm de altura. A dimensão mínima pode ser medida pelo TWI, um pequeno risco no interior dos sulcos que indica quando o pneu atinge o limite da segurança.

Calibre os pneus – Pneus calibrados são fundamentais para encarar a chuva com segurança. Caso a pressão esteja abaixo do recomendado pelo fabricante, os sulcos ficam mais próximos e perdem capacidade de escoamento, aumentando o risco de aquaplanagem. Se o motorista abusar da velocidade sobre as finas camadas de água formadas sobre as pistas, os pneus perdem o atrito com o solo e o veículo pode vir a escorregar. Isso pode tirar o controle do carro do condutor e causar graves acidentes.

Mantenha a distância – Com a pista molhada, a distância necessária para a frenagem de qualquer veículo é maior. Por isso, ao dirigir na chuva, mantenha um espaço considerável do veículo da frente. “Em uma estrada molhada, o motorista necessita de mais tempo e extensão de pista caso precise frear”, afirma Milton Persoli, diretor geral da ARTESP. 

Luz baixa – Acione a luz baixa. Ela foca imediatamente no chão e ajuda a reduzir o ofuscamento dos veículos que trafegam no sentido oposto.

Velocidade – Redução – Trafegar em baixa velocidade proporciona maior controle do veículo e reduz riscos de aquaplanagem.

Ultrapassagens – Sinalize com antecedência a mudança de faixa, pois a visibilidade fica limitada na presença de chuva. Também evite fazer ultrapassagens.

Manutenção dos freios – Faça a manutenção dos freios, pois a pista pode estar escorregadia e com menos aderência. 

Pare em lugar seguro e iluminado – Se a visibilidade na rodovia estiver ruim, busque um lugar seguro e iluminado, como um posto de gasolina ou uma base de Apoio aos Usuários para parar e esperar a chuva passar. Sob a chuva forte, evite parar em acostamentos. Isso pode confundir os outros motoristas e provocar acidentes.  

Aplicativos – As concessionárias também disponibilizam para os usuários aplicativos para que eles possam acompanhar as condições climáticas.

Painéis eletrônicos – Os 414 painéis eletrônicos de mensagens que estão instalados nas rodovias concedidas também trazem informações para os motoristas sobre as condições climáticas.

Câmeras de monitoramento 24 horas – As 2.564 câmeras de monitoramento 24 horas que observam os 11,7 mil quilômetros de rodovias concedidas que abrangem 293 cidades do Estado de São Paulo podem captar qualquer tipo de problema que aconteça nas rodovias. 

Equipes de Atendimento ao Usuário – Equipes de atendimento estão sempre à disposição dos usuários para darem suporte ao motorista. Em média, há um profissional pronto para ajudar a cada 6 quilômetros de rodovia concedida e uma ambulância para realizar o atendimento ao usuário a cada 60 quilômetros.

Estações Meteorológicas – Algumas concessionárias têm Estações Meteorológicas, capazes de monitorar as condições climáticas, para que haja indicação aos motoristas de alertas pontuais, localizados, e de adoção de medidas preventivas para se evitar acidentes nas rodovias.