ARSESP- Agência marca presença no 5th Rio Gas & Power Forum

478

A superintendente interina de Regulação de Gás Canalizado da ARSESP, Carina Couto, participou no dia 09 de abril, do 5th Rio Gas & Power Forum – Global Series, no Rio de Janeiro, um evento organizado pelo CWC Group Limited, com apoio da Petrobras.

O Fórum abordou assuntos da maior importância na área do Gás Canalizado. No Brasil, por exemplo, o mercado de gás observou grandes mudanças nós últimos cinco anos, incluindo a vasta flutuação de preços, a revolução do shale gás, a exploração do pré-sal, ou seja, um número enorme de opções de fornecimento para o Brasil. Foi neste cenário que o mercado de gás ganhou destaque durante o período de maior crescimento do setor de energia brasileiro nos últimos 20 anos.

O painel apresentado pela superintendente teve como tema Regulamentação e Competição: qual a política de apoio para a emergência de um mercado de gás forte e competitivo no Brasil? Na mesa estavam presentes: César Dias Ramos, moderador e presidente da Momentum Energia; e Dra. Heloise Costa, Assessora da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP.

Em sua apresentação, Carina deu um panorama geral sobre a atuação da ARSESP como agência Reguladora e relatou a necessidade da oferta com preços competitivos “O Estado de SP tem uma demanda crescente por gás natural, atualmente consome mais de 30% de todo gás consumido pelo Brasil, e a estimativa é de que até 2020, o consumo de gás natural no Estado aumente cerca de 60%”.

Informou, também, que a Agência está elaborando regulação para distribuição de biometano oriundo, por exemplo, de biogás de aterro sanitário e resíduos agrícolas. E lembrou do recente decreto que retirou a alíquota do ICMS para bens de capital na produção de energia renovável.

Ainda segundo Couto, os desafios do desenvolvimento do mercado livre de gás natural no Estado de São Paulo são grandes, mas com a entrada de ofertantes com preços competitivos, há em São Paulo um mercado de 251 potenciais usuários livres a ser explorado. No momento o mercado possui sete comercializadores.

Por fim, informou que visando aumentar a eficiência energética do Estado e contribuir com racionalidade energética, a Agência tem pesquisado mecanismos para incentivar o uso do gás natural para cogeração.

 

 

Fonte: ARSESP