ARPE realiza Fórum Interno de Regulação.

628

Nesta quarta-feira, 23, aconteceu o último dia de palestras do I Fórum Interno de Regulação da Arpe. O tema abordado foi: Avaliação do impacto regulatório (conceitos, erros críticos e boas práticas), explanado pelo professor do departamento de engenharia e gestão do Instituto Superior Técnico de Lisboa, Carlos A. Bana e Costa.

O encontro foi mediado pelo diretor de Regulação Técnico-Operacional, Evandro Limongi e o chefe de gabinete, Edgar Távora. Além deles, contou-se com a participação de Sérgio Murilo, representante da Compesa, Ricardo Pimentel e Sérgio Calumbi, representantes da Celpe, as duas principais concessionárias reguladas pela Arpe.

O Fórum começou no dia 19 de outubro com a abertura do ex-governador do Estado, Joaquim Francisco e foi uma extensão dos projetos dos profissionais da Arpe que foram apresentados durante o VII Congresso Brasileiro de Regulação (Abar), em Brasília.

As reuniões foram realizadas no auditório da agência, no 1º andar, sempre às 9h30. Os funcionários da instituição discutiram vários assuntos de diversos setores, dentre eles: ouvidoria, jurídico, biblioteca e transporte. Os profissionais puderam dividir conhecimentos técnicos e seguiram uma programação contendo painéis de apresentações de trabalhos e debates.

O Fórum teve como objetivo discutir e fazer uma troca de experiências no âmbito da regulação e de segmentos relacionados à prestação dos serviços públicos concedidos nas áreas de energia elétrica, água e esgoto, gás canalizado, tarifas, organizações sociais e aspectos regulatórios no geral. Os servidores da Arpe que apresentaram trabalhos foram: Andreolla Romana, Ângela Freitas, Rafael Vieira, Sônia Amorim, Graça Reis, Clementina Alcoforado, Fernando Duarte e Ernesto Oliveira.

Para o diretor – presidente da agência, Roldão Joaquim, que teve a iniciativa de criar o primeiro Fórum Interno de Regulação, “As palestras foram interativas e dinâmicas, trazendo conhecimentos para os funcionários no que diz respeito ao marco regulatório, às condições da prestação dos serviços, as atribuições do organismo regulador, os deveres e atribuições do prestador dos serviços, a proteção dos usuários e os requisitos de qualidade dos serviços”. Conclui.

Fonte: Assessoria de Imprensa – ARPE

{backbutton}