Arce e Agência Francesa discutem organização de consórcio no Cariri

3

Uma delegação da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) visitou a Agência Reguladora do Estado do Ceará (Arce) para conhecer e discutir, junto aos analistas da Agência Cearense, pontos essenciais à regulação da concessão do Consórcio de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (CGIRS – Cariri).

A equipe francesa foi recebida na tarde desta quinta-feira, 23, pelo presidente da Arce, Hélio Winston Leitão, e pelo conselheiro e presidente da Câmara Temática de Saneamento Básico, Jardson Cruz. Cabe salientar que a AFD está envolvida em programas que visam o desenvolvimento nas áreas de recursos hídricos, desenvolvimento agrário e infraestrutura. A Agência Francesa já atua no Brasil há 11 anos e, desde 2019, vem firmando parcerias entre Estado e alguns municípios cearenses. A reunião também contou com participação de integrantes da Secretaria das Cidades e da Secretaria de Agricultura de Altaneira, além do CGIRS-Cariri.

No encontro de hoje, particularmente, foram tratados assuntos relacionados às competências e responsabilidades de cada ator da regulação e da fiscalização nos documentos da concessão. Entre os serviços contemplados na concessão, cita-se o de transbordo, tratamento e disposição final de resíduos em aterro. Cumpre informar que no encontro foram discutidos, ainda, as principais ações regulatórias pertinentes à concessão, incluindo eventuais necessidades das coordenadorias de saneamento e econômico-tarifária da Agência Cearense. Também foram discutidas formas de cooperação técnica entre a AFD e a Arce.

Pela AFD, estiveram presentes os técnicos Yves Besse, Elcires Pimenta, Poncet Jacqueline, Aude Lovigny e Tournier Pierre. Pela Secretaria das Cidades, a analista de desenvolvimento urbano, Vanessa Lima. Pelo CGIRS-Cariri, o técnico Francisco Brito Junior. Pela Secretaria de Agricultura de Altaneira, o analista Antônio Cristóvão. E pela Arce, além do Presidente e do conselheiro Jardson Cruz, a diretora executiva, Bárbara Cidrack, e os coordenadores Marcelo Almeida (saneamento básico) e Mário Monteiro (econômico-tarifário), além dos analistas Alceu Galvão, Alexandre Caetano e Geraldo Basílio.