Arbel atendeu mais de 1.700 manifestações de usuários em 2020

24

De janeiro a novembro de 2020, a Agência Reguladora Municipal de Belém (ARBEL) atendeu mais de 1700 manifestações de usuários, incluindo solicitações, reclamações e denúncias. Os dados são da Ouvidoria do órgão, divulgado esta semana em um relatório com as principais demandas dos usuários, bem como a natureza das manifestações, os meios de contato, as intenções de ligação, além do mapeamento geográfico da origem das manifestações.

A média é de 163 atendimentos mensais, incluindo ligações telefônicas e por meio da internet, no site e email da agência.  Os dados apresentados são de grande importância para que sejam traçadas estratégias para a melhoria dos serviços. A intenção é elaborar um plano de ação com as prestadoras para que num esforço conjunto sejam possíveis ações corretivas junto aos problemas detectados.

Entre os assuntos mais demandados constam: problemas nas faturas, com 973 manifestações, correspondendo a 54,18% do total; solicitação de serviços externos, com 469 (26,11 %); informações, com 167 (9,30%); falta de água, com 183 (10,19%); e serviços sobre resíduos e drenagem, com apenas 4 manifestações, correspondendo a 0,22% do total.

Com relação à natureza das manifestações, de 1.796 atendimentos no período, 1.196 foram relativas a reclamações, correspondendo a 66,59% do total; seguido por informações, com 391 (21,77%); solicitações, com 198 (11,02%) e 11 denúncias, correspondendo a 0,61%.

“Recebemos as queixas pelo telefone, por email e até de forma presencial, mas, mesmo assim, procuramos acompanhar as fiscalizações dos nossos técnicos justamente para manter o contato com a população e conhecer de perto as dificuldades do usuário”, explicou o ouvidor da agência, Lauro Carvalho. “A intenção é aproximar o usuário da agência e, com isso, prestar um melhor atendimento”, completou.

Uma cobrança considerada indevida motivou o gerente comercial Alessandro Cunha a procurar a ouvidoria da Arbel. Segundo ele, o valor da fatura não condiz com o consumo do imóvel, localizado no conjunto Império Amazônico, no bairro do Souza.  “Aqui é um hidrômetro para quatro apartamentos, o que já está errado, por isso solicitei o desmembramento. Dos quatro imóveis, dois estão desocupados, o que significa que não têm consumo. Para minha surpresa o valor da fatura aumentou. Reclamei para a  prestadora e nada foi feito, por isso procurei a agência reguladora”, desabafou o usuário, enquanto recebia a visita da equipe técnica da Arbel.

Já o autônomo Francisco Santos, de 42 anos, se queixa do descarte irregular de lixo. “Aqui no canal do Galo, no Telégrafo, nem todos respeitam o dia da coleta, por isso eu não reclamo das prestadoras, pois sei que tem morador que joga lixo no meio da rua”, lamentou.

A Arbel regula os quatro eixos de saneamento básico, que são abastecimento de água, esgotamento sanitário, resíduos sólidos e drenagem urbana. Denúncias e reclamações podem ser feitas pelo 98464-7478, email: ouvidoria.arbel@gmail.com e no site da Arbel. Antes de procurar a agência é importante que o usuário oficialize a reclamação junto às prestadoras de serviços, que são as responsáveis pelos atendimentos.