Antaq atua em Manaus para agilizar desembarque de oxigênio

21

A Antaq, por meio da Unidade Regional de Manaus (UREMN), vem empreendendo esforços nos últimos dias para que oxigênio e materiais hospitalares cheguem à capital do Amazonas com mais rapidez pelo transporte de travessia. Essas ações têm sido fundamentais para que esses insumos estejam disponíveis para as pessoas que estão internadas em virtude da Covid-19.

O Ministério da Infraestrutura, em apoio ao Ministério da Saúde, implementou uma rota emergencial pela BR-319 (Porto Velho-Manaus). Nela, há dois serviços de travessia que a Antaq regula: Igapó-Açu – Manaus e Careiro – Manaus. A atuação dos servidores, que estão in loco, tem sido decisiva para que as travessias sejam realizadas no menor tempo possível. Em Igapó-Açu (a 215km de Manaus), por exemplo, os dois operadores da travessia foram colocados em prontidão para atender a qualquer hora os comboios e realizar a travessia.

“Também foi autorizado que os dois prestadores de serviço operassem simultaneamente, de forma excepcional, para diminuir o tempo de travessia. Caso o transporte fosse realizado por apenas um operador, levaria cerca de seis horas. Houve, no dia 23 de janeiro, um comboio de sete carretas e oito veículos de apoio. A operação se iniciou às 21h30, tendo sido concluída a 0h10 do dia 24, levando apenas 2h40 de duração”, explicou Luiz Carlos de Souza, chefe substituto da UREMN. “Foram sete caminhões transportando oxigênio líquido, totalizando 190 mil metros cúbicos. Esta quantidade é suficiente para abastecer Manaus por dois dias”, informou.

Conforme o chefe substituto, “com o aumento exponencial dos casos e dos óbitos, vieram as restrições, e mais uma vez a Antaq foi chamada a agir, principalmente por que nós detemos um conhecimento muito refinado da logística na Região Norte. Pensamos que o momento, apesar do medo, da incerteza e da falta de leitos, requer a nossa participação, não só como servidores públicos, mas também como integrantes de uma comunidade que precisa de ajuda”, afirmou.

Para contribuir ainda mais com o combate à Covid-19, uma equipe de servidores vem fiscalizando embarcações autorizadas pela Antaq, principalmente em relação aos cuidados de higiene e distanciamento social, visando mitigar o risco de contaminação nas viagens. Em média, são fiscalizadas até oito embarcações por dia entre 6h e 18h. “Com relação aos passageiros, tendo em vista a restrição às viagens realizadas, as embarcações, em regra, seguem somente com carga. Apenas poucos passageiros seguem viagem, caso estejam enquadrados em situações de urgência ou emergência, ou caso estejam se deslocando para prestar algum serviço essencial”, explicou.

Em Brasília, a Superintendência de Fiscalização e Coordenação das Unidades Regionais (SFC) procura dar todo o apoio para a equipe local, mantendo comunicação aberta 24h diretamente com a superintendente Gabriela Costa e com os demais técnicos, visando acompanhar o trabalho desenvolvido pela equipe e atender a eventuais necessidades.

Além da atuação em Manaus, a Antaq vem editando normas para que haja prioridade no embarque e desembarque de veículos com cargas de material hospitalar ou oxigênio para o Amazonas nas travessias reguladas pela Antaq. Trata-se, por exemplo, da Resolução No 8096, de 19 de janeiro de 2021. Conforme o texto legal, os operadores da linha de travessia de veículos entre os municípios de Manaus e Careiro da Várzea, na diretriz da rodovia BR-319, deverão realizar o transporte imediato do veículo com esse tipo de carga.

A obrigação de transporte imediato se dará pela empresa que se encontrar disponível. “A UREMN, de forma a dar conhecimento da resolução, reuniu os operadores da travessia para enfatizar e orientar sobre a necessidade de dar prioridade para o transporte de oxigênio e outros gêneros hospitalares, o que vem ocorrendo sem maiores intercorrências”, garantiu Souza.