ANTAQ – Apresenta PNIH no Fórum das Agências Reguladoras

530

O superintendente de Navegação Interior da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ, Adalberto Tokarski, participou ontem (6/12) do painel sobre transportes do Fórum das Agências Reguladoras, realizado no auditório da Agência Nacional de Águas – ANA, em Brasília. Representando o diretor-geral em exercício da autarquia, Tiago Lima, Tokarski discorreu sobre o Plano Nacional de Integração Hidroviário- PNIH.

O superintendente da ANTAQ disse que o Brasil já dispõe de quase metade das hidrovias navegadas previstas no Plano Nacional de Viação (PNV). “São 20.956km de vias economicamente navegadas”, informou. O número foi levantado em estudo feito por técnicos da Superintendência, que apontou um acréscimo de cerca de 8.000km na extensão das hidrovias brasileiras navegadas em relação ao último levantamento, realizado em 2006.

Tokarski destacou a importância do PNIH para um melhor conhecimento das hidrovias brasileiras, para formulação de políticas públicas e atração de investimentos públicos e privados para o setor.

Elaborado pela ANTAQ, em conjunto com a Universidade Federal de Santa Catarina, o PNIH está sendo concluído. Quando pronto, permitirá a realização de análises sobre regulação e planejamento em transporte e logística, através de uma ferramenta chamada GIS, que possibilita simular, por exemplo, a melhor rota para escoamento de uma carga, a partir de uma determinada região produtora, e comparar a eficiência dos modais aquaviário, rodoviário e ferroviário nessa rota.

O PNIH contemplará ainda o Plano Geral de Outorgas do Subsetor Hidroviário, onde serão apresentadas as diversas áreas com potencial para implantação de novas hidrovias, portos e terminais no interior do país, identificando os produtos mais relevantes em cada região, trazendo ainda dados importantes para a elaboração das políticas públicas do setor, como a quantificação dos fluxos atuais e a projeção dos fluxos futuros de comercialização e transporte.

“O PNIH oferecerá outras informações importantes para a sociedade, como, por exemplo, uma análise das bacias hidrográficas do Tocantins-Araguaia, do Sul e do Paraná-Tietê”, disse o superintendente de Navegação Interior da ANTAQ. O estudo sobre a bacia do Tocantins- Araguaia já está concluído.

Tokarski também destacou a importância das hidrovias para a Amazônia. Segundo informou, a Agência está finalizando um levantamento em conjunto com a Universidade Federal do Pará sobre o transporte de passageiros na região.

O superintendente da ANTAQ falou ainda sobre as perspectivas para o crescimento do transporte na hidrovia do Paraná-Tietê. Aquele complexo hidroviário está recebendo recursos do governo federal, através do Ministério dos Transportes, visando à ampliação da sua infraestrutura. De acordo com o superintendente, a expectativa é dobrar o transporte de mercadorias, especialmente de etanol, nos próximos três anos.

O painel sobre transportes também contou com a participação do diretor-geral da Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, Marcelo Guaranys, e do diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, Jorge Bastos.

Fonte: http://www.antaq.gov.br