ADASA define curva de acompanhamento do volume do reservatório de Santa Maria

698

A Adasa (Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal) definiu a curva de acompanhamento do volume útil do reservatório de Santa Maria para 2017, a partir de parâmetros predefinidos, como vazão dos afluentes e captação de água pela Caesb (Companhia de Saneamento Ambiental do DF).

A resolução 12 de 2017, publicada sexta-feira (16) no Diário Oficial do DF, traz as metas mensais que o reservatório de Santa Maria deve atingir até dezembro. Para junho, o volume útil do reservatório deve ser igual ou superior a 46%. Um grupo de acompanhamento formado pela Adasa e pela Caesb deve se reunir semanalmente para verificar se o nível do manancial está dentro do patamar estabelecido.

Caso ocorra alteração nos parâmetros que modifique para menos a trajetória da curva de acompanhamento, a Adasa poderá reduzir o valor da vazão média mensal captada pela Caesb para correção da trajetória da curva.

Segundo a resolução, a Caesb está autorizada a captar a vazão média mensal de até 1,85 m³/s do sistema Santa Maria/Torto. Se o ribeirão do Torto apresentar valores de vazão maiores que os previstos, a concessionária deverá priorizar a captação deste manancial, com o objetivo de resguardar o reservatório de Santa Maria e contribuir para o cumprimento das metas.