ACFOR entra no combate às arboviroses em Fortaleza

626

Nesta quarta-feira, 31 de maio, mais de 60 servidores participaram de ação de formação de multiplicadores para combater arboviroses, promovida pela Autarquia de Regulação, Fiscalização e Controle dos Serviços Públicos de Saneamento Ambiental (Acfor).

A ação faz parte do Plano Permanente de Combate às Arboviroses na Acfor, elaborado para atender à solicitação da Prefeitura de Fortaleza em combater possíveis focos do Aedes aegypti nas repartições públicas do município.

A capital cearense registra hoje mais de 60 mil casos de Febre Chikungunya e a Prefeitura de Fortaleza realiza uma série de ações para evitar a propagação da doença.

Brigadas permanentes de combate ao Aedes aegipty nas repartições públicas municipais vêm atuando desde 6 de maio. Na Acfor, a brigada permanente reúne-se todas as sextas-feiras, quando é feita uma varredura nas instalações do prédio onde funciona a autarquia.

“Desde que esta ação foi iniciada, já identificamos e debelamos 3 focos de larvas do Aedes, impedindo assim a multiplicação do mosquito. Nosso plano é estender essa ação de prevenção em todo o edifício e em nossa circunvizinhança”, informa Homero Silva, superintendente da Acfor.

Na ação desta quarta-feira, Carlos Alberto Barbosa, do Núcleo de Controle e Endemias da Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, alertou aos servidores sobre o crescimento dos casos de Febre Chikungunya e deu explicações sobre a forma de reprodução do mosquito e como os criadouros de larvas devem ser evitados. “As caixas d’água, os ralos e sanitários em desuso, e até mesmo materiais descartáveis acumulados no quintal comprovam que a maior parte dos focos do mosquito encontra-se dentro das residências, o que torna imprescindível a ação de todos no combate ao Aedes”.

“A brigada da Acfor tem hoje 8 voluntários que, além da vistoria do prédio, participam de ações para incentivar que cada funcionário se torne hoje um multiplicador em sua casa, em seu bairro. Esse engajamento tem mostrado resultados e diariamente recebemos relatos de funcionários que conseguiram identificar e eliminar focos do mosquito”, comemora Eunice Lima, superintendente adjunta da Acfor, que lidera as ações dos brigadistas.