Em 4 meses de pandemia, Arsal realiza 7.041 abordagens nas rodovias

1

Patrícia Mendonça

Entre várias medidas adotadas em Alagoas para minimizar o índice de contaminação pela covid-19, a suspensão do transporte intermunicipal de passageiros, definida por decreto governamental desde o dia 19 de março, tem oportunizado que municípios do Estado alcancem fases mais brandas no plano de distanciamento social. E é de responsabilidade da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal), a fiscalização do tipo de transporte, tendo realizado até esta sexta-feira (17), 7.041 abordagens a veículos em todo o Estado.

Desde então, somente os que transportam trabalhadores dos serviços essenciais e em casos de atendimento médico estão liberados nas blitz’s sanitárias e educativas realizadas em pontos fixos e volantes em toda Alagoas.

Entre às 7.041 abordagens, resultou num total de 630 multas e 317 apreensões de veículos flagrados realizando o transporte irregular de passageiros, em descumprimento aos decretos governamentais.

E o número de multas e apreensões foi decaindo durante o avançar da quarentena, isto demonstra uma sensibilidade da sociedade com relação da importância do isolamento. Os dados do setor de Multa da Arsal apontam que no final de março foram aplicados 281 autos de infração; em abril 127; em maio 85; em junho 90; e nos primeiros 17 dias de julho, 47 foi o total de multas emitidas pela Agência.

Os flagrantes de transporte clandestino aconteceram principalmente na região Metropolitana, em seguida do Agreste e Médio Sertão.

O diretor-presidente da Agência Reguladora, Ronaldo Medeiros, falou sobre a importância deste trabalho, especialmente neste período em que o principal objetivo é salvar vidas.

“Tem sido uma tarefa muito importante para a Arsal garantir a proibição da circulação do transporte intermunicipal, mas entendemos e apoiamos o objetivo maior da causa. Deixo aqui, também, o meu agradecimento aos permissionários, esses trabalhadores têm dado um grande exemplo de compreensão neste momento tão difícil, paralisando suas atividades”, disse Ronaldo.

O chefe da fiscalização do transporte, que diariamente está nas rodovias do Estado, ressalta que os permissionários da Arsal respeitaram o decreto, e isto é comprovado por meio do monitoramento via satélite. “Não houve apreensão de complementares e nem do transporte convencional, as apreensões foram nas demais categorias, como táxi e transporte por aplicativo. Mas com o passar dos meses entenderam a importância do isolamento e perceberam rigidez nas ações de fiscalização, o que ocasionou na queda do número de infrações”, pontuou Márcio Gouveia.

Estão atuando em conjunto com a Arsal o BPRv, BPTran, PRF, SMTT e a Guarda Municipal de Maceió.