ACERTAR tem minicursos durante encontro em Cuiabá

85
Instrutores do minicurso: Samuel Barbi (ARSAE-MG), Rita Cavaleiro (ProEESA), Thiago Ademir (Tato Consultoria), Jessica Gama (ABAR).

Nos dias 8 e 9 de maio durante o 49º Congresso Nacional de Saneamento da Assemae em Cuiabá foram realizados dois minicursos embasados no Guia de Melhores Práticas para geração de informação de acordo com a metodologia ACERTAR. Gerar e gerir informações confiáveis é imprescindível para moldar o futuro da prestação de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário. A informação adequada permite a tomada de decisões gerenciais e operacionais racionais além de solidamente fundamentadas.

Após a institucionalização do ACERTAR como uma metodologia para auditoria e certificação de informações do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) por meio da Portaria nº 719, de 12 de dezembro de 2018 o grande desafio passa ser a efetiva adoção de melhores práticas de gestão de informação e realizar as respectivas auditorias de acordo com a metodologia ACERTAR.

“Nosso objetivo atual é muito mais difícil do que a elaboração da metodologia. Precisamos torná-la aplicável pelos prestadores, de uma maneira simples, direta e descomplicada. O que pretendemos é trazer o ACERTAR para a realidade dos prestadores, de forma que eles mesmos saibam o que têm de fazer para melhorar seu nível de gestão e informação, mesmo sem a presença direta de um auditor.” Samuel Barbi, Gerente de Informações Econômicas – ARSAE-MG e um dos idealizadores do ACERTAR.

O curso contou com uma abordagem simples e direta, onde foi apresentado um roteiro e um checklist de auto avaliação sobre as ações a serem tomadas para atingir os melhores níveis de qualidade da informação por parte dos prestadores de serviço.

“Foi abordada quase a totalidade das 103 Melhores Práticas nos dois minicursos ministrados, incluindo os procedimentos relativos ao balanço hídrico, gestão de consumos elétricos e cadastro de redes que são essenciais para o controle de perdas de água e energia. Apesar de ter sido muita matéria, foi possível transmitir bem a lógica do ACERTAR. Julgo que os prestadores estão em condições de identificar na própria organização fragilidades da qualidade da informação e iniciar práticas para melhorar a confiança.” Rita Cavaleiro de Ferreira, coordenadora do ProEESA – Cooperação Alemã – GIZ – Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit GmbH.

João Batista Réus Alano, Diretor do SAMAE de Imbituba que esteve na capacitação, considera que o minicurso “foi de grande valia para nossa organização e gestão dos serviços de saneamento. Esperamos que essas iniciativas continuem acontecendo. A área de saneamento em nosso país é carente em capacitações continuadas.”.

O curso tem também como objetivo secundário formar multiplicadores ACERTAR em Agências Reguladoras para propagar o conhecimento da iniciativa. A sua próxima edição ocorrerá no dia 26 de junho em Americana por solicitação da ARES-PCJ, segundo Dalto Favero Brochi, Diretor Geral – Agência Reguladora ARES-PCJ

“Desde o início das discussões, na Câmara Técnica de Saneamento – CTSan, que culminaram na assinatura do  convênio da ABAR com a Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental para o Projeto ACERTAR, a ARES-PCJ decidiu participar proativamente e, a partir de então, iniciamos sua divulgação junto aos nossos prestadores, no sentido de mostrar a eles a importância da informação correta dos dados ao SNIS, para a geração de indicadores válidos e confiáveis.

Assim, essa edição do Projeto ACERTAR, aqui na ARES-PCJ, será uma grande oportunidade para capacitar não só os nossos colaboradores mas, principalmente, os nossos regulados, que hoje passam de 60. O objetivo é obtermos o envolvimento desses prestadores de serviços de água e esgoto e contribuir positivamente com os resultados do Projeto ACERTAR, no que diz respeito à validação das informações e confiabilidade dos indicadores do SNIS.”