Estudo da ABAR é destaque em O Estado de S. Paulo

361

A Associação Brasileira de Agências de Regulação (ABAR) participou de reportagem do jornal O Estado de S. Paulo que apontou a necessidade de incremento de investimentos para se atingir a meta de universalização do acesso ao esgotamento sanitário no Brasil. Segundo a reportagem, o Brasil só investe R$ 10 bilhões por ano no tratamento de água e esgoto, menos da metade do previsto no Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab).

O presidente da ABAR, Fernando Franco, disse ao Estado que o investimento privado pode ser um caminho positivo para sanar essa questão, mas destacou que a cobrança de tarifas de saneamento no Brasil ainda é tratada como assunto proibido por muitas prefeituras.

“Hoje, há 1,5 mil municípios no País que não têm nenhuma regulação sobre a área de saneamento e não querem nem ouvir falar disso, justamente para que os recursos destinados à área possam correr facilmente e sem fiscalização”, disse Franco.

Dados precisos sobre essa questão estão no estudo divulgado pela ABAR no Dia da Água, “Desafios e Soluções para a Universalização do Esgotamento Sanitário no Brasil”, que pode ser acessado aqui.

Do estudo, o Estado destacou ainda o levantamento dos serviços prestados em 398 municípios, que demonstrou que em 99,3% dessas cidades, o valor da tarifa média de esgoto era inferior ao valor da despesa total com o serviço. “Somente em 0,75% dos casos (três municípios) essa conta fechava. Portanto, como está, não há viabilidade econômica”, disse Franco à reportagem.

A íntegra dessa matéria, que foi o principal destaque do caderno de Economia & Negócios do Estado nesta segunda-feira (1) pode ser acessada clicando aqui.