Captação de esgoto em tempo seco e separador absoluto são temas de palestra do engenheiro Paulo Canedo na Agenersa

143

“O saneamento básico é o grande divisor entre o atraso e o mundo civilizado”. Foi com esta afirmação do escritor e jornalista peruano Mario Vargas Llosa, Nobel de Literatura de 2010, que o engenheiro civil Paulo Canedo de Magalhães deu início à sua palestra na Agenersa, na manhã desta quarta-feira (10/04). “Vargas Llosa falava isso em um contexto em que as pessoas demandavam internet, o que era 3G, 4G; e ele, cutucando, disse que o grande avanço da tecnologia é o vaso sanitário. Claro que é provocativo, mas li esta frase e gostei. Já eu digo que o grande desafio dos brasileiros no tema hídrico é a universalização dos serviços de água e esgoto, ambos tratados”, afirmou. A palestra de Canedo encerra o ciclo de seminários e palestras para treinamento dos servidores da Agenersa, do Rio de Janeiro, dentro das propostas dos 100 dias do Governo Wilson Witzel.

De acordo com o professor do Programa de Engenharia Civil da COPPE da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ) e atual chefe do Laboratório de Hidrologia COPPE/UFRJ, quase metade dos 57 milhões de moradias do Brasil não está conectada a sistemas de captação de esgoto. Já a distribuição de água, chega a 85% dos lares brasileiros. “O fato é que o Brasil tem uma performance no saneamento básico muito aquém da sua capacidade financeira. Nós somos muito mais ricos e organizados do que mostram os nossos serviços de saneamento. O Brasil é suficientemente pobre para só conseguir 85% da cobertura de água?”, indagou.

Canedo é PhD em Ciências do Meio Ambiente/Hidrologia pela Lancaster University, na Inglaterra, e falou sobre as vantagens, desvantagens e desafios dos sistemas de captação de esgoto em tempo seco e separador absoluto. “O Brasil escolheu o separador absoluto como sua regra geral, que de separador não tem nada porque as águas acabam se encontrando e poluindo os rios. Mas minha solução, se eu tivesse que tomar uma decisão, escolheria o sistema tempo seco mais o separador absoluto. De que maneira? Começa com tempo seco e, gradativamente de acordo com a disponibilidade financeira, passando para separador absoluto”, disse.

A palestra de Paulo Canedo está inserida nas propostas apresentadas pela agência para metas de 100 dias do Governo Witzel.  “A iniciativa da Agenersa em realizar o ciclo fez tanto sucesso, que já gerou frutos, como o aprofundamento do tema sobre sistemas de captação de esgotos em seminário a ser realizado em breve na Região dos Lagos. Mas até o fim deste mês, os servidores Wallace Almeida, Maria Clara Canedo e Carlos Pessôa farão uma apresentação sobre suas experiências na visitação às lojas das concessionárias, Ouvidoria Itinerante e vistorias na Barragem da Represa Juturnaíba”, informou o coordenador do ciclo, conselheiro Luigi Troisi.

Também participaram do evento, os conselheiros José Bismarck Vianna de Souza, que é o presidente do Conselho, Silvio Santos e José Carlos Araújo, os gerentes Oldemar Guimarães (CASAN) e Roosevelt Brasil (CARES), a procuradora da Agenersa, Flavine Metne Mendes, o presidente da Prolagos, Sérgio Braga, e o superintendente da Concessionária Águas de Juturnaíba, Carlos Gontijo, além de funcionários de todos os setores da agência e da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).