ANCINE promove quinta reunião da Câmara Técnica de Cinema

334

Na última quinta-feira (20), foi realizado o quinto encontro da Câmara Técnica do Segmento de Mercado de Salas de Exibição. A Câmara foi criada em dezembro de 2017, após o encontro de distribuidores e exibidores com a Agência Nacional do Cinema – ANCINE para a definição anual da cota da tela. O objetivo do grupo, que se reúne mensalmente, é acompanhar e analisar o comportamento do mercado de salas exibição, assim como discutir sobre a evolução do cinema brasileiro. A reunião foi presidida pelos diretores Alex Braga, Mariana Ribas e Debora Ivanov, na ausência do Diretor-Presidente Christian de Castro, que estava em Brasília.

O encontro foi conduzido pela Superintendente de Análise do Mercado Luana Rufino, e, teve como assunto principal a Regra da Dobra, que trata da permanência dos filmes nas salas de cinema. A Regra, que foi criada em 1977 pelo Concine, em um momento em que o cinema ainda não tinha um cenário de multiprogramações. O modelo atual da Regra, enfrenta alguns problemas de adequação a essa nova realidade: “Hoje, a Regra da Dobra se aplicaria há apenas 2% (dois por cento ) do cinema, dada a mudança ocasionada pela multiprogramação” ressaltou Luana. Veja a apresentação da Superintendente aqui.

Após a apresentação da Superintendente, o convidado Paulo Sergio Almeida, da empresa Filme B, falou sobre a evolução dos filmes brasileiros no cinema e da expansão do parque exibidor, revelando alguns dados de exibição dos filmes no Brasil, bem como os novos desafios da atual fase do mercado audiovisual.

Para Christian de Castro, “O resultado desses encontros será muito importante para interpretar como o mercado está se equilibrando. Com a aferição da cota de tela por sessão única de cinema e com a digitalização do parque exibidor brasileiro, surge um novo modelo de negócios no mercado, flexibilizando a distribuição das obras audiovisuais. Precisamos pensar políticas públicas que visem escoar a produção nacional com visibilidade. Os encontros com a participação de representantes dos elos da cadeia do audiovisual permitirão debate transparente e busca comum por soluções para aumentar a participação do filme brasileiro no mercado nacional fortalecendo os empreendedores brasileiros”.

Os representantes de mercado que participaram da Câmara Técnica foram: Adhemar de Oliveira (REDIF – Rede de Distribuição de Filmes Independentes); Antônio Carlos Caio Silva (ABRAPLEX – Associação das Empresas Cinematográficas Operadoras de Cinema Multiplex); Silvia Cruz (ANDAI); Jorge Peregrino (Academia Brasileira de Cinema); Leonardo Edde ( SICAV – Sindicato Indústria Audiovisual); Luiz Carlos Barreto (SINCAV – Sindicato da  Indústria do Audiovisual); Ilda Santiago (Grupo Estação); Marcio Fraccaroli (Paris Filmes); Vinicius Pagin (Cinemark); Cesar Silva (Paramount); Paulo Lui (AEXIB -Associação dos Exibidores Brasileiros de Cinema de Pequeno e Médio Porte); Daniel Caetano (ABRACI – Associação Brasileira de Cineastas), Leonardo Barros (SICAV – Sindicato da Indústria Audiovisual), Felipe Lopes (ANDAI), Francisco Martins (APACI), Gilberto Leal (Sindicato dos Exibidoes do Rio de Janeiro), Luiz Sevriano Ribeiro (ABRACINE), Luiz Gonzaga Assis de Luca (FENEEC), Rodrigo Saturnino (Secretaria de Cultura de São Paulo), Sandro Rodrigues (ADIBRA) e Jorge Assumpção (Paris Filmes).