ANCINE lança nova campanha publicitária pela valorização do audiovisual brasileiro

62

Em 2017 o Brasil bateu o recorde de títulos brasileiros lançados nas salas de cinema – foram 160 longas-metragens, que venderam mais de 17 milhões de ingressos. Na televisão, no mesmo ano, as obras brasileiras ocuparam 17,7% das horas de programação dos canais de TV Paga. E a animação nacional atingiu novo patamar, bateu recorde de lançamentos, e contribuiu para o aumento da visibilidade do Brasil internacionalmente.

Mesmo com uma produção robusta, que dá sinais de crescimento ao longo dos anos, o audiovisual brasileiro ainda é visto com desconfiança pelo público em geral. Para desmistificar essa imagem, romper com o preconceito em relação às obras nacionais, e destacar todo o seu potencial, a Agência Nacional do Cinema – ANCINE e a DM9DDB criaram a campanha “Audiovisual brasileiro, mais do que você imagina”, que começa a ser veiculada nesta segunda-feira, 5 de novembro, em ambiente 100% digital.

“O audiovisual nacional já se impõe como importante gerador de renda e emprego dentro da economia criativa. Conquistamos espaço no mercado interno de filmes e séries para TV e temos ampliado nossa produção audiovisual para setores emergentes, como o de vídeo sob demanda, o de animação, e o de jogos eletrônicos. Nossos talentos e nossos produtos ganham cada vez mais reconhecimento internacional e a campanha vem para mostrar essas conquistas, para valorizar nossa produção, e apresentar um mercado audiovisual amadurecido”, explica o diretor-presidente da ANCINE, Christian de Castro.

A campanha traz cinco filmes destinados às categorias da produção: audiovisual em geral; cinema; séries; games; e animação. Nas peças, que serão veiculadas durante 30 dias nas redes sociais da Agência e também nos portais verticais de cinemas, atores encarnam os clichês mais difundidos sobre cada um dos temas. Enquanto esse discurso é apresentado, telas contrapõem esses argumentos com manchetes dos principais jornais do Brasil e do mundo e cenas que demonstram o imenso potencial do audiovisual brasileiro.

“A campanha vai além de refutar esse discurso tão forte sobre a produção nacional. Ela mostra para o público que o audiovisual brasileiro é muito mais que cinema: é uma forma completa de arte e entretenimento”, explica Adriano Alarcon, VP de criação e conteúdo da DM9DDB.

Assista: