ADASA é premiada por estudos na área de drenagem urbana

130

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) foi a segunda colocada no prêmio disputado com outros 150 trabalhos técnicos apresentados no 48º Congresso Nacional de Saneamento, realizado pela Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento (ASSEMAE), entre os dias 27 e 30 de maio, em Fortaleza (CE). O trabalho apresentado foi sobre a “Utilização de geotecnologias em estudos de financiamento dos serviços públicos de drenagem urbana”.

O estudo analisou as potencialidades da utilização de Sistemas de Informações Geográficas (SIG), para a extração de dados sobre a impermeabilização do solo urbano no Distrito Federal. Elaborado pelo consultor Alexandre Moreno Richwin Ferreira, contratado pela Adasa, o estudo foi apresentado pelo Superintendente de Drenagem Urbana e coautor, Marcos Montenegro. A engenheira ambiental Flora Lyn Fujiwara também colaborou com o projeto.

Para o estudo foram analisados métodos manuais e automáticos de extração de dados, a partir de imagens aéreas de alta resolução espacial das cinco áreas urbanas selecionadas: Lago Norte, Plano Piloto, Ceilândia, Samambaia e Águas Claras. A seleção levou em consideração as características de diferentes padrões de urbanização.

No segundo semestre deste ano, a Adasa pretende ampliar a análise para todas as áreas urbanas do Distrito Federal. O objetivo do estudo, segundo Montenegro, é fornecer informações que permitirão formular políticas públicas de drenagem urbana. “A Agência poderá trabalhar com os quantitativos de áreas impermeabilizadas privadas (lotes e projeções) e públicas em cada região administrativa e também em cada unidade hidrográfica. Com essas informações será possível verificar as características de impermeabilização do solo de cada cidade e simular a cobrança pelo serviço de drenagem urbana com base na demanda.”, afirmou.