Maricá inicia programa de despoluição das lagoas

2

Previsão de conclusão das obras é de três anos.

A UFF – Universidade Federal Fluminense fechou parceria com o município de Maricá, RJ, através da Codemar – Companhia de Desenvolvimento de Maricá para a implementação de uma série de projetos na área do saneamento básico. As iniciativas envolvem a instalação do Centro de Pesquisas em Saneamento e Estudos Oceanográficos (AEQUOR), a despoluição da Lagoa de Maricá, o Programa de Cursos de Aperfeiçoamento dos Servidores Públicos (Patec), a balneabilidade das praias internas do ecossistema lagunar e o controle da qualidade de água dos poços tubulares da cidade. O projeto está em fase inicial de diagnóstico dos córregos contaminados e tem previsão de conclusão em três anos. O AEQUOR pretende desenvolver e aprimorar sistemas que possibilitem atingir ambientes de difícil acesso e baixa renda em Maricá.

De acordo com o coordenador geral do projeto e professor do Instituto de Geociências da UFF, Estefan Monteiro da Fonseca, o acordo firmado tem o objetivo principal de executar pesquisas aplicadas nas diversas vertentes de demanda da localidade. “A região sofre com dificuldades de saneamento e falta de água e o convênio visa auxiliar na gestão do problema. O município vem investindo em seu crescimento, atraindo assim mais moradores, o que pode sobrecarregar a infraestrutura e o meio ambiente. Considerando essa realidade, daremos suporte para estabelecer estratégias de amortecimento desses efeitos. A primeira área de dedicação do projeto foi o saneamento básico”.

A implantação do Centro de Pesquisas em Saneamento e Estudos Oceanográficos (AEQUOR), de acordo com o professor, é um importante primeiro passo para o desenvolvimento de técnicas de remediação de ambientes poluídos. “O AEQUOR surge a partir de uma série de projetos na área ambiental de gestão de saneamento desenvolvidos pelos departamentos de Geologia e Geofísica da UFF. A partir dos métodos elaborados, os pesquisadores entenderam a necessidade de aplicá-los além dos muros da instituição”, pontua.

As técnicas utilizadas estão sendo trazidas de fora do país através de cursos e palestras com especialistas internacionais. Já está prevista a visita do professor Klaus Fricke, especialista em resíduos da Universidade de Braunschweig da Alemanha. Também serão palestrantes os pesquisadores Christine Gaylarde, da Universidade de Oklahoma (EUA) e Teruo Higa, da EMRO Japão.

“O AEQUOR pretende desenvolver e aprimorar sistemas que possibilitem atingir ambientes de difícil acesso e baixa renda em Maricá. O Centro de Pesquisa contará com seis laboratórios, que serão compostos de contêineres em palafitas e instalados em uma área ao lado da lagoa. Não haverá supressão vegetal para sua instalação. O tratamento de água será feito através de energia solar e tecnologia própria. Nossa filosofia é criar técnicas de baixo custo”, diz o coordenador. Já na fase da despoluição da Lagoa de Maricá, será empregada a técnica japonesa dos micro-organismos efetivos.

Em um terceiro momento, o Programa de Cursos de Aperfeiçoamento dos Servidores Públicos oferecerá aulas de aperfeiçoamento para os funcionários e professores municipais de Maricá. “Primeiro será feito um levantamento das necessidades dos participantes e, a partir disso, produziremos cursos de especialização. No momento, está em andamento a elaboração do material sobre gestão ambiental. Avançaremos com a mobilização da sociedade, promovendo oficinas de conscientização com os moradores sobre a importância do saneamento, impactos sobre a saúde local e importância para o meio ambiente”, relata o coordenador.

Em paralelo, a equipe do AEQUOR atuará nas praias internas na Lagoa, avaliando a qualidade de água, para registrar a melhoria do ambiente e no controle da qualidade dos poços e das praias lagunares.

O grupo de pesquisadores pretende interagir com outros centros de pesquisas brasileiros da área. “Nesse momento crítico para todos, as instituições acadêmicas devem se aliar para compartilhar conhecimentos e colaborar na melhora da qualidade de vida das pessoas”, enfatiza o coordenador geral do projeto.

O reitor Antonio Claudio Lucas da Nóbrega reforça que a cooperação institucional da UFF com os municípios está se fortalecendo. “Nosso foco é a produção e aplicação de conhecimento científico e tecnológico na construção e execução de políticas públicas em favor da população. Durante esse processo, articulamos também formação de pessoal qualificado em graduação e pós-graduação nas diferentes áreas do conhecimento, gerando empregabilidade para as pessoas e sustentabilidade para os projetos. É a universidade pública intensificando seu papel de transformação social e econômica com preservação ambiental”, finaliza.