Agenersa determina medidas à Cedae em função da parada da ETA Guandu

2

A Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio (Agenersa) comunica que, em virtude da interrupção do abastecimento para execução de descarga da captação na Estação de Tratamento de Águas (ETA) Guandu, ocorrida da zero às 09 horas do dia 04 de fevereiro, gerando falta de água em algumas localidades da Região Metropolitana, o Conselho Diretor da Agenersa determinou que a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) realize medidas para:

1)    que atenda de imediato, e prioritariamente, hospitais/unidades de saúde, escolas, creches, unidades de tratamento de idosos, presídios e demais áreas sensíveis afetadas pelo desabastecimento de água, contratando, se necessário, carros-pipas;

2)    que realize os procedimentos operacionais extraordinários (manobras na rede de abastecimento) para a reorganização do abastecimento à população;

3)    que remeta à Agenersa relatórios diários, até às 15h, sobre o abastecimento de água à população atingida, detalhando os procedimentos adotados e os atendimentos realizados aos respectivos bairros e municípios;

4)    que disponibilize as informações citadas no item 3 de forma clara e através de mídias de fácil acesso à população do Rio de Janeiro;

5)    que envie à Ouvidoria da Agenersa, diariamente, até às 17h, as reclamações dos usuários sobre desabastecimento de água efetuadas junto à Cedae.

O ofício da Agenersa foi encaminhado à Cedae no início da tarde desta terça, e esclarece à Companhia que o cumprimento das determinações não é impedimento para ressarcimento aos usuários, possíveis aplicações de penalidades à Companhia e compensações tarifárias.

A Agenersa está acompanhando os procedimentos da Cedae desde o dia 03 de fevereiro, quando foi comunicada, em atendimento à Instrução Normativa CODIR nº 53 – Manual de Procedimento Operacional na Comunicação de Acidentes/Incidentes Relacionados aos Sistemas de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário da Cedae -, da necessidade de fechamento das comportas de entrada do canal principal da ETA Guandu.

Por meio de informes dos técnicos da Companhia, a agência reguladora tomou ciência da interrupção do abastecimento para realização de descarga da captação da ETA Guandu, conforme determina o seu Plano de Contingência Para Abastecimento de Água.

Assim que recebeu os comunicados, a Agenersa determinou que a Companhia informasse, imediatamente, à população os motivos que levaram ao fechamento das comportas. A Cedae teve ainda que notificar autoridades envolvidas e os prefeitos dos municípios da área de atuação, sobre provável desabastecimento.

Por fim, a Agenersa esclarece que, por se tratar de detecção da presença de surfactantes na água bruta, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) é o órgão que está investigando a origem da alta concentração do produto na captação da ETA Guandu, que é responsável por aproximadamente 80% do abastecimento da Região Metropolitana. Em função deste evento, algumas áreas terão intermitência no abastecimento de água.