ABAR se reúne com o Banco Mundial para discutir futura parceria

6

Na manhã do dia 12 de fevereiro, a Associação Brasileira de Agências de Regulação (ABAR) se reuniu com o Banco Mundial para discutir uma futura parceria entre as organizações. A proposta da Associação é de uma colaboração para capacitação de servidores das agências associadas a ABAR, principalmente as que regulam saneamento, visando a melhoria do serviço regulatório no Brasil.

Durante o encontro, o Presidente da ABAR, Fernando Franco, frisou a importância da regulação no setor de saneamento no Brasil. “A regulação na área de saneamento precisa estar presente para melhorar o serviço no país”, afirmou.

Franco ainda destaca a relevância de uma parceria entre o Banco Mundial e a ABAR.”Através do Banco Nacional como uma organização internacional, nós temos a oportunidade de mostrar aos gestores públicos através da sua atuação e do seu braço financeiro, a importância do país fortalecer a suas agências reguladoras, contribuindo para a consolidação da regulação brasileira”, completa.

Segundo a Especialista Sênior em Recursos Hídricos do Banco Mundial, Paula Freitas, o auxílio da instituição fortalecerá o trabalho regulatório brasileiro, especialmente no setor de saneamento. “O Banco Mundial é um parceiro forte para os Governos no Brasil, principalmente na área de saneamento, que é onde a nossa equipe está focando e tem interesse de apoiar como um todo, tanto do ponto de vista da produção do serviço quanto da regulação”, afirma a especialista.

Paula ainda destaca como essa parceria auxiliará e beneficiará ambos os lados, principalmente o trabalho regulatório no país. “É um trabalho que o banco vem desenvolvendo em vários estados e áreas do governo, e entendemos que ter o apoio e a coordenação com a ABAR vai ampliar muito mais a nossa possibilidade de fazer essa contribuição, além de entender melhor sobre os desafios da regulação no país e poder prestar uma assistência mais direcionada aos governos, as agências e a própria ABAR. Temos aí uma possibilidade de fazer uma boa cooperação e trazer experiências de outros países para fortalecer a regulação no Brasil como um todo”, completa ela.

Conheça mais sobre o Banco Mundial, clicando aqui.