ARSP mantém cobrança unidirecional e Governo do Estado anuncia investimento na Terceira Ponte

341

Após cento e vinte dias de observação e levantamentos técnicos, a Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP) anunciou que a cobrança unidirecional de pedágio na Terceira Ponte passará a ser permanente, a partir desta terça-feira (16). Assim, os veículos que trafegam com destino à Vila Velha continuarão isentos do pedágio.

A notícia foi dada durante coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (15), na sede da ARSP. Estiveram presentes o Diretor Geral da ARSP, Julio Castiglioni, a Diretora Técnica de saneamento básico e infraestrutura viária, Katia Muniz Côco e a Subsecretária de Estado de Mobilidade Urbana, Luciene Becacici.

Para o Diretor Geral da ARSP, Julio Castiglioni, quando se decidiu pela implantação do sistema unidirecional de cobrança, no mês de junho, já era possível prever a ocorrência de melhorias na fluidez do tráfego, mas seria necessário monitorar o comportamento dos motoristas durante o período experimental. Segundo o Diretor, a avaliação final demonstra que “não ocorreu qualquer alteração significativa na quantidade de veículos que trafegam diariamente com destino à Vila Velha, sendo que, nos meses de agosto e setembro, houve uma discreta queda no fluxo de 0,05% e 0,18%, respectivamente, quando comparado com os mesmos meses de 2017”, informou o diretor.

A equipe técnica da ARSP avaliou os benefícios trazidos pela cobrança unidirecional, concluindo que dois terços dos usuários que trafegam diariamente pela Terceira Ponte com destino à Vila Velha – o que representa mais de 30 mil veículos por dia – foram beneficiados com uma diminuição de cerca de 10% a 12% no tempo de viagem sobre a Ponte, haja vista que não necessitam mais parar o veículo, efetuar o pagamento da tarifa, receber o troco e reacelerar na subida da Ponte, que tem um aclive sobremaneira acentuado. E, mesmo para aqueles usuários que já utilizavam o sistema de cobrança automática, a cobrança unidirecional passou a evitar a disputa por faixas de rolamento. “Havia disputa de faixas. Quem saía da Praça do Cauê, por exemplo, precisava se deslocar lateralmente até chegar à extremidade direita da via e ingressar, enfim, na via expressa. Agora não existe mais esta necessidade, uma vez que o motorista poderá acessar qualquer uma das faixas de subida”.

Para os demais veículos que trafegam com destino a Vila Velha no horário de pico, ou seja, cerca de 15 mil veículos por dia, os estudos técnicos demonstraram que a percepção de melhoria acarretada pela cobrança unidirecional varia de usuário para usuário e depende de sazonalidades e de ocorrências que já existiam no fluxo da Terceira Ponte. Observou-se, por exemplo, que a incidência de panes e de acidentes de trânsito, no horário de pico, acarretam piora significativa na fluidez do tráfego, algo que, no entanto, não se relaciona com a cobrança unidirecional implantada desde junho. Da mesma forma, também há diferença de percepção quando se considera o dia da semana observado (com segundas e sextas-feiras sendo potencialmente mais críticas, e terças-feiras sendo mais amenas, em geral), e quando se considera o horário de ingresso na região da Praça do Pedágio (a fluidez do tráfego se comporta melhor no início e no fim do período de pico).

Leia mais aqui.