Usina solar da ANEEL é inaugurada

367

Inaugurada hoje (26/6) a usina solar da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que atenderá entre 18% e 20% do consumo anual da autarquia com uma média de geração de 710 MWh/ano. Estiveram presentes na cerimônia de inauguração os diretores da ANEEL, representantes  do Ministério do Meio Ambiente, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), da Companhia Energética de Brasília (CEB), da Cooperação alemã para o desenvolvimento sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmBH, da Alsol energias renováveis, além de servidores da ANEEL.

O diretor da CEB, Maurício Alves, destacou a parceria feita com a ANEEL e ressaltou que a iniciativa representa um modelo a ser seguido por todo o setor público.

O Coordenador de Planejamento Energético, Regulação e Gestão do Sistema da GIZ, Florian Geyer, afirmou que o projeto é pioneiro e deverá estimular o mercado fotovoltaico no país. “O lugar com menos sol, que é Florianópolis, ainda tem 20% a mais de irradiação solar do que o lugar com mais sol da Alemanha. Isso mostra o grande potencial da energia solar FV comparando com outros países como a Alemanha. A melhor insolação da Alemanha é de 3.500 Wh/m² (watt-hora por metro quadrado) por dia, disponível em uma pequena região sul do país, já o Brasil apresenta valores de insolação entre 4.500 e 6.000 Wh/m²”, enfatizou.

Para a representante do Ministério do Meio Ambiente , Alexandra Maciel, a iniciativa da ANEEL ajudará a consolidar o papel das energias renováveis no Brasil. “A nossa matriz é muito rica e precisamos incentivar cada vez mais a geração a partir de outras fontes renováveis que não seja a hídrica”, pontuou Maciel.

O diretor da ANEEL, Rodrigo Limp, mencionou  que o uso da energia solar está de acordo com a busca pela sustentabilidade em todo o mundo e com o uso eficiente e racional da energia. Já o diretor Sandoval Feitosa ressaltou que um país tropical como o Brasil não pode deixar de investir em uma fonte renovável como a solar. “É uma fonte ainda pouco explorada, principalmente na região do semiárido nordestino, portanto, precisamos utilizar cada vez mais essa fonte renovável. Tenho certeza que a iniciativa da ANEEL ajudará outras concessionárias e o setor público como um todo a seguir o mesmo exemplo”, salientou.

O diretor Tiago de Barros lembrou que o projeto de eficiência energética da ANEEL está de acordo com um modelo coerente de redução do desperdício. “Além de contribuir com o acordo de Paris que prevê a redução de gases de efeito estufa, a geração solar reduz a demanda por investimentos no horário de ponta. Temos a clareza de que ainda é uma geração incipiente no Brasil e que precisa de incentivos no presente para caminhar sozinha no futuro”, destacou.

O diretor André Pepitone evidenciou  que existem 80 milhões de unidades consumidoras no país, mas apenas 40 mil utilizam a geração distribuída. “A ANEEL não medirá esforços para dar o suporte regulatório que esse tipo de geração necessita para crescer ainda mais. Tenho certeza que depois dessa inauguração, vários órgãos públicos irão até a CEB a fim de fazer parcerias parecidas com essa feita pela ANEEL”, frisou.

Por fim, o diretor-geral da ANEEL, Romeu Rufino, parabenizou os parceiros e a área técnica pela conclusão do projeto e espera que a Agência se torne uma referência para outros órgãos públicos. “O setor elétrico passa por várias transformações e o usuário de hoje é muito mais participativo e preocupado com a sustentabilidade. Diante desse cenário, a ANEEL não poderia deixar de dar o exemplo no que diz respeito a boas práticas de redução do desperdício e eficiência energética”, concluiu.

Leia mais aqui.

Imagem: ANEEL