ARCON-PA aplicou mais 300 autos de infração durante a Operação Círio 2017

575

A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon-PA) finalizou a operação Círio 2017 com 583 abordagens a veículos em quatro postos. A ação aconteceu no período de 05 a 10 de outubro e tinha como principal finalidade coibir os atrasos nos horários de partida, excesso de lotação e garantir um bom atendimento da grande demanda que foi para Belém durante os festejos do Círio, além de reprimir o transporte não regularizado no Estado. Cerca de 60 agentes estiveram envolvidos no trabalho.

No setor de transporte rodoviário, os fiscais fizeram 583  abordagens, aplicaram 304 autos de infração e apreenderam 12 veículos, quatro deles que estavam operando de forma clandestina no transportando passageiros. Os locais com maior movimentação foram o Terminal Rodoviário de Belém e o trecho entre Castanhal e Santa Maria, no nordeste do Estado.

Nas estradas, a Agência atuou em parceria com Polícias Rodoviárias Federal (PRF) e Estadual (PRE).

No modal hidroviário, os agentes fiscalizaram os portos de Belém e do interior do Estado, somando mais de dez portos e travessias. Cerca de 47 mil passageiros utilizaram as embarcações durante o final  de  semana  do Círio 2017. Foram aplicados 28 autos de infração em descumprimento da resolução que norteia a operação do transporte hidroviário, o maior número de infrações foi correspondente a utilização de embarcação não cadastrada junto a Arcon, totalizando 26.

Na avaliação do Diretor de Normatização e fiscalização da Arcon-PA, Karim Zaidan, a operação atingiu seu objetivo, que foi garantir a segurança de quem se deslocou para Belém para acompanhar o Círio. Concentramos nossos esforços nos principais pontos de entrada da capital, Santa Maria, Apeú e Alça Viária, além dos terminais rodoviários e no modal hidroviário a fiscalização foi planejada de maneira a acompanhar o embarque nos municípios mais próximos de Belém e no Marajó, com isso alcançamos números expressivos de abordagens e apreensão de transportes clandestinos no modal  rodoviário e aumento no registro de infrações no modal hidroviário.

Os agentes da Arcon-PA do modal hidroviário trabalharam em parceria com Capitania dos Portos, Companhia de Portos e Hidrovias do Estado do Pará (CPH), Grupamento Fluvial (Gflu), Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.