Manaus sedia evento inédito sobre o Fórum Mundial das Águas

635
Foto: Horácio Figueiredo Jr. Chefe de Gabinete da Agência Nacional de Águas – ANA, Presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) José Tadeu da Silva, Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM) Cláudio Guenka, Diretor Presidente da ARSAM e da Associação Brasileira de Agências de Regulação (ABAR) Fábio Alho e Arlindo Sales Pinto, Diretor de Regulação da Manaus Ambiental.

O Diretor Presidente da Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Amazonas – ARSAM e da Associação Brasileira de Agências de Regulação – ABAR Fábio Alho, participou ontem (11), no Tropical Hotel de Manaus, da Conferência da Abertura do Preparatório da Engenharia e da Agronomia para o 8º Fórum Mundial das Águas, a ser realizado em Brasília, de 18 a 23 de março de 2018.

Promovido pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), Conselho Regional (Crea-AM) e Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (Sinduscon-AM), o evento preparatório reúne profissionais de todo o país, pesquisadores, cientistas, políticos e representantes da sociedade civil organizada que debatem, até amanhã (12), a problemática dos recursos hídricos e os desafios da Região Norte. A programação do evento dedica espaço à discussão de temas como “Recursos Hídricos – De direitos fundamentais a commodities”; “Gestão de Recursos Hídricos Transfronteiriços”; “Métodos Geofísicos aplicados à Hidroecologia e Gestão de Águas Subterrâneas.

Sobre o Fórum Mundial das Águas

Criado em 1996, pelo Conselho Mundial da Água, o Fórum Mundial das Águas é um ambiente de discussão para o estabelecimento de compromissos políticos e ações de incentivo, em todos os setores da sociedade. A oitava edição possui como tema central “Compartilhando água” e deverá reunir em torno de 30 mil representantes de mais de 100 países. O fórum será estruturado em quatro processos: temático, discussões técnicas sobre o tema água em diversas vertentes; político, permitindo debate entre autoridades governamentais e parlamentares; regional, voltado à discussões das perspectivas sobre água nos diferentes continentes do mundo; e por fim, o grupo focal de sustentabilidade. O evento global contará ainda com o Fórum Cidadão, que incentivará a participação popular nos debates.