Arcon-PA mobiliza 65 agentes para atuar na Operação Carnaval 2017

709

Com a proximidade do período do carnaval, a Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Pará (Arcon) está ultimando os preparativos para a Operação Carnaval 2017, que tem início na quinta-feira, 23, e termina na quarta-feira, dia 1º de março. Ao todo, 65 servidores da Agência participam das ações de fiscalização nas estradas e em portos de Belém e do interior do Estado.

Neste ano, alguns ajustes operacionais se fizeram necessários para a Agência, como a atenção especial que será dada para as travessias de balsas nas viagens entre Belém e Cametá, na região do baixo Tocantins, via Alça Viária. O período do carnaval em Cametá é um dos mais movimentados no Pará, havendo um grande deslocamento de pessoas entre capital e essa cidade. A Arcon enviou uma equipe, na semana passada, para avaliar as necessidades de fiscalização, e já programou os ajustes nas travessias.

Outra providência se refere à viagem, via fluvial, entre o distrito de Porto Trombetas, no município de Oriximiná, e Santarém, os dois, na região oeste do Estado. Na noite de sexta-feira, dia 24, essa movimentação de passageiros terá atenção redobrada, com a presença de fiscais da Agência, depois que a empresa Mineração Rio do Norte – onde se localiza esse porto – solicitou essa providência em reunião realizada há uma semana, da qual participou o diretor de Fiscalização e Normatização da Arcon, Karim Zaidan. Ainda na região oeste do Estado, fiscais da Arcon estarão na BR-163, onde farão a fiscalização em parceira com a Polícia Rodoviária Federal.

Plantão – A Arcon manterá, em regime de plantão, durante o carnaval, servidores da Agência nos terminais de passageiros, o Rodoviário de Belém e o Hidroviário, nos quais existem postos da Ouvidoria para fazer orientações e receber reclamações e denúncias. E faz um alerta para que os passageiros sempre utilizem transporte autorizado pela Arcon, e nunca, clandestinos, seja por via terrestre ou fluvial.

Para o diretor geral da Arcon, Bruno Guedes, a fiscalização seguirá o procedimento adotado em épocas de maior demanda. “No entanto, fazemos questão de chamar a atenção dos usuários para que não se utilizem do transporte clandestino. Na dúvida, busquem informação”, aconselhou o diretor.

 

Fonte: ARCON-PA