Mesas redondas encerram o IX Congresso Brasileiro de Regulação Imprimir E-mail

1027

O IX Congresso Brasileiro de Regulação encerrou suas atividades na quinta-feira (20/08) e teve várias mesas redondas com a participação de grandes palestrantes. O bate-papo sobre o cenário da regulação de transportes e logísticas no Brasil contou com a presença de Arthur Bastos (Conselheiro AGETRANSP), Giovanni Pengue (Diretor Geral da ARTESP), Danilo Cunha (Conselheiro da AGR) e Marcelo Guaranys (Diretor Geral da ANAC).

Iniciando a discussão, Danilo Cunha destacou que a Agência Goiana de Regulação espera licitar as linhas do transporte coletivo intermunicipal de passageiros. Após um estudo técnico, foi proposto um novo modelo de transporte, que de acordo com Cunha é moderno e assegurará mais qualidade e eficiência para os passageiros de transporte intermunicipal. “No novo modelo todos os veículos terão um kit embarcado, que vai garantir seu monitoramento online, no qual poderemos ter os dados de posicionamento, horário, quantidade de passageiros etc.” Em relação à tarifa, o novo modelo garante que terá que ser igual ou inferior à atual, e que pelo menos uma linha atenda todos os 246 municipios, o que não acontece hoje em dia.

Em seguida, Marcelo Guaranys falou sobre o transporte aéreo. Disse que houve uma expansão muito grande no setor, e que 120 milhões de passageiros são transportados atualmente. “Há 10 anos atrás, nós transportávamos 33 milhões de passageiros. Hoje esse número mais que triplicou, e isso se deve ao trabalho de uma agência reguladora, para fazer com que o transporte seja algo universal. Queremos que o transporte expanda ainda mais e seja acessível a toda a população.” As concessões dos aeroportos também entraram em pauta e, de acordo com Guaranys, elas trarão muito mais benefícios para a população. “A concessão veio para trazer mais infraestrutura para os aeroportos de maneira rápida e de qualidade. Além disso, a concessão faz com que os aeroportos concorram entre si na melhoria, trazendo mais benefícios para a população”, finalizou.

Logo depois, o conselheiro da AGETRANSP, Arthur Bastos, falou sobre o transporte ferroviário. Bastos disse que o transporte melhorou após as concessionárias e o governo investirem no aprimoramento do setor. 2,2 bilhões foram investidos na infraestrutura, aumentando assim o número de passageiros de 350 para 680 mil. Ainda, para que haja um aumento neste número, Arthur sugere que haja uma fiscalização preventiva adequada e que se utilizem indicadores de melhoria de serviço. “O transporte ferroviário já chegou a transportar 1 milhão de passageiros. Estamos nos esforçando para aumentar ainda mais esse número, e para que isso aconteça, é necessário reformular a fiscalização”, afirmou.

Finalizando o bate-papo, Giovanni Pengue destacou a importância da interação da agência com a população. O diretor geral da ARTESP ressaltou que as pessoas estão cobrando mais e exigindo melhor qualidade de serviço. Nesse sentido, a agência tem trabalhado nos últimos anos com o foco voltado para o usuário. “Criamos um centro de controle de informação, onde a gente recebe, em tempo real, indicadores de funcionamento de equipamento, tráfego e atendimento oferecido por todas as 20 concessionárias do Estado de São Paulo. Quando percebemos que ela está saindo de uma tendência de qualidade, tomamos providência. Queremos garantir a qualidade contínua do serviço para o usuário”, explicou.